Música: arte e matemática

Published by Amanda on

Será que existe alguma relação entre Matemática e Música?

Se respondermos rápido provavelmente a nossa resposta será ” Não tem nada a ver “. Mas vamos ver hoje que a música e  a matemática tem muito em comum.

1. A história entre música e a matemática.

Tenho certeza que na sua aula de matemática você ouviu falar sobre o teorema de Pitágoras. Que foi desenvolvido por um matemático com o mesmo nome. Mas algo que provavelmente você não sabe é que ele foi também um teórico musical, responsável por grandes avanços no estudo da música. Você já deve ter ouvido falar das escalas musicais como as conhecemos e usamos hoje:

, , Mi, , Sol, , Si,

Essa sequência já foi conhecida como gama pitagórica, em homenagem a Pitágoras.

A matemática nos permite identificar características físicas que diferenciam a música como expressão artística que conhecemos dos ruídos que escutamos no dia a dia. O som é medido pela matemática através da intensidade, frequência e timbre.

  • Intensidade: nos permite determinar se um som é fraco ou forte. Comumente conhecida como o volume do som.
 As diferentes intensidades podem ser identificadas através da chamada amplitude da onda.

As diferentes intensidades podem ser identificadas através da chamada amplitude da onda.

  • Frequência: nos permite diferenciar entre um som grave ou agudo. Se a frequência é alta o som é agudo, mas se a frequência é baixa, então, o som é grave.
Podemos determinar se um som é grave ou agudo através do comprimento de onda

Podemos determinar se um som é grave ou agudo através do comprimento de onda

  • Timbre: nos permite diferenciar dois sons de mesma frequência e intensidade, mas emitidos por fontes diferente. É pelo timbre que conseguimos identificar a voz de uma pessoa.
O timbre permite distinguirmos diferentes fontes sonoras graças ao formato da onda.

O timbre permite distinguirmos diferentes fontes sonoras graças ao formato da onda.

 

A frequência de algumas notas em Hz

A depender da forma como uma corda de um violão vibra, temos uma nota musical diferente. Cada uma delas pode ser representada através de uma frequência especifica, como mostrado na imagem ao lado. Também é comum as letras A, B, C, D, E, F e G serem utilizadas para as notas musicais , si, , , mi, e sol, respectivamente.

 

2. Usando o micro:bit no Open Roberta Lab.

O apito, também conhecido como “buzzer”, emite um sinal sonoro em determinada frequência. Ele é usado como um sinal de alerta, e na computação é utilizado para sinalizar diferentes tipos de falhas que podem ocorrer num computador durante o processo de inicialização (após RESET).

Vamos aprender a fazer música com o apito (buzzer) da nossa plaquinha micro:bit ? 

  1. Bom o primeiro passo é fazer login na plataforma Open Roberta Lab. e selecionar a nossa plaquinha. Caso você ainda tenha dúvidas você pode clicar aqui e conferir o nosso tutorial.
  2. Em seguida temos que escolher conectar o apito (buzzer) na nossa plaquinha. Para isso vamos clicar em configuração do robô e depois em acção e selecionar o buzzergifam1
  3. Chegou a hora de colocar a mão na massa selecionando o segundo conjunto de comandos e clicando novamente em acção e então em sons. Vamos começar escolhendo a segunda opção de comando e simular para ver o que acontece.

teste1somgitam2

  1. Agora vamos repetir o processo anterior mas selecionando o primeiro comando. Neste comando é possível definir a frequência da nota e tempo de duração que queremos que ela toque. Consultando a figura acima que nós apresenta a frequência das notas, vamos testar se elas realmente possuem o mesmo som colocando a frequência do Dó (264 Hz)
  2. gifam3teste2som
dasafionotas

Agora é sua vez de inventar e brincar com o micro:bit!
Atividade Prática – Esse é o meu som

Bem-vindas à sua segunda oficina no STEAM4Girls. Nela você terá que desenvolver um código pro micro:bit que utilize o apito (buzzer). O código terá que:

  • Reproduzir um trecho de música de sua escolha OU
  • Criar uma música de acordo com a sua criatividade

Uma dica: no tópico 2 nós fizemos uma pequena comparação entre duas notas colocando elas em sequência. Então você pode pesquisar a partitura ou a cifra de uma música para descobrir a ordem de suas notas… o céu é o limite!

Bom desafios e bom aprendizado!

minibio amanda

Categories: Oficinas

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *